Pensamentos Catastróficos


por: Zulima Tozzi (KRIKKA)
Psicóloga Clínica – CRP 13-2896
e-mail: tozzi@zaitek.com.br

Pensamentos catastróficos seriam aqueles carregados de imagens negativas e aterrorizantes envolvendo nós mesmos ou outras pessoas. Neles algumas vezes somos apenas figurantes de uma cena, e em outros momentos somos os protagonistas, sendo que atuamos muitas vezes de forma contrária à nossa própria vontade. São imagens que retratam situações com um teor do que costumamos chamar de fatalidades e cujos ingredientes centrais são o perigo, o risco, a ameaça, que por sua vez geram alta ansiedade, muito medo, além de auto-acusações, auto-recriminações e autodepreciações.

Tais pensamentos surgem sem que conscientemente nós o invoquemos. Muitas vezes eles acontecem enquanto estamos fazendo algo concretamente e de repente nos vemos vivenciando, através da imaginação, outra coisa muito diferente. Por exemplo: ao estar realizando seu trabalho, ou dirigindo seu carro, ou estando no ônibus, ou no metrô, ou a caminho do supermercado, da sua universidade, da sua casa, ou, simplesmente, divertindo-se num barzinho, o indivíduo começa a vivenciar situações catastróficas que poderiam acontecer com ele naquele momento. São pensamentos fantasiosos que invadem sua mente sem pedir licença, ou seja, momentaneamente o imaginário toma conta da consciência, muitas vezes levando o indivíduo a se questionar… será que estou ficando maluco por pensar tais coisas? O que será que está acontecendo comigo? Por que vivo dois momentos diferentes na minha mente? Por que surgem esses pensamentos tão angustiantes?  Evidentemente não se trata de loucura e nem tampouco tais pensamentos estão restritos às pessoas que têm o Transtorno do Pânico. Também faz parte da atividade mental humana considerada normal, imaginar, fantasiar, enfim, ter pensamentos de cenas e objetos não limitados ao mundo físico. Entretanto, o que marca uma diferença é o efeito qualitativo que o imaginário exerce sobre as pessoas interferindo em seu agir, na vida como um todo. Vejamos dentro de uma visão psicanalítica como poderíamos explicar tais eventos. A Psicanálise, como ciência, relaciona-se num primeiro plano com a consciência, e a seguir, ela trata dos produtos que chamamos psique inconsciente. Essa dimensão inconsciente da psique humana não pode ser diretamente explorada por estar a um nível menos evidente, ao qual não temos acesso de imediato. E é justamente no campo do inconsciente que podemos explicar as imagens representativas e simbólicas dos pensamentos catastróficos.  Podemos dizer que vivemos entre dois mundos de percepções diferentes: o de fora, percebido mais diretamente e o e de dentro, percebido através das imagens e sensações cujas representações reprimimos ou não. O inconsciente não é algo estático, ele é ativo e participa de nossas ações, muitas vezes, lado a lado com a consciência, chegando mesmo, em muitas ocasiões, a se fazer mais pregnante que o consciente, como por exemplo, no caso dos pensamentos catastróficos, quando somos pegos de surpresa por tais idéias que parecem nada ter a ver com o nosso momento presente.

Muitas coisas passam por nossa percepção durante nosso estado de alerta. Nossas sensações no momento que estão sob o regime da consciência, nos proporcionam segurança, nos sentimos apoiados, certos de que estamos aqui, firmes, senhores de nós mesmos.  Quando acontecem eventos, regidos pelo “funcionar” inconsciente como, por exemplo, esses pensamentos catastróficos, ficamos inseguros e indefesos em relação a nós mesmos e à nossa realidade…E o que é isso? De onde vêm essas sensações? Essas vivências? Esses pensamentos? Eu diria que é justamente quando o inconsciente age, emerge, quando ele se faz presente, elaborando fantasias tão ricas em símbolos e imagens, plenos de significados que acabam nos envolvendo, possuindo a nossa psique consciente, submetendo a nossa atenção por um lapso de tempo.  Sendo assim, os pensamentos catastróficos nada mais são que produtos da função imaginativa do inconsciente. Se um indivíduo está vivenciando uma onda de caos interno os pensamentos seriam como um auto-retrato do que está acontecendo no espaço interno da psique, sem disfarces. É quando a energia psíquica faz-se imagem, ou melhor, transforma-se em imagens que representam conteúdos do inconsciente pessoal, emoções e experiências vivenciadas pelo indivíduo, mas que foram reprimidos e agora buscam um meio de expressão.  A princípio os pensamentos catastróficos parecem não fazer nenhum sentido de imediato, mas afetam nossas atitudes. E se formos cuidadosos e atentos com relação a nós mesmos, descobriremos muito do significado desses momentos.  

Anúncios

4 comentários

  1. Muito bom; pessoalmente passei exatamente por situações descritas nesse artigo, como pensamentos catastroficos , ou pensamentos obsessivos. Felizmente tive uma sensivel melhora, porém ainda continua um tratamento ativo com psiquiatra, em paralelo com tratamento psicologico. Gostaria de dar meu testemunho que, por mais complicado que esse problema possa ser, ele com certeza é possivel de ser administrado e resolvido. Acredito que o mais importante é manter-se positivo, e acima de tudo ter-se paciencia. A respiração calma, e funda, tambem auxilia no momento da crise. Gostaria tambem de parabenizar a iniciativa desse site / blog, pois esse é um tema delicado, porém muito importante. Alem do tratamento medico, creio que seja muito importante que as pessoas que posssuem sindrome do panico, e sintomas similares, se auto-ajudem, para que possam se acalmar em conjunto.
    Parabens pelo site !

    Obrigado pela oportunidade, e pensamentos positivos a todos
    Diego Valentim – Santo Andre / SP

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s