O que é?

Três milhões e seiscentos mil brasileiros vivem uma rotina de angústia pavorosa. Sem motivo nenhum e sem hora marcada, eles estão sujeitos a paralisar de medo. Sentem o chão sumir, a morte se aproximar, a respiração faltar. O coração dispara e os tremores tomam conta do corpo. A crise pode acontecer em casa, no trabalho, no supermercado, no trânsito, na praia. Eles sofrem do transtorno do pânico, um distúrbio caracterizado por uma ansiedade devastadora. Por causa da doença, muitos desenvolvem o medo de sentir medo. Isolam-se em casa, deixam o trabalho, os amigos e anseiam pelo fim desse sofrimento.

A Síndrome do Pânico, ou Transtorno do Pânico, é um quadro clínico no qual ocorrem crises agudas de ansiedade sem que haja um estímulo disparador compatível com a intensidade das crises. O indivíduo vive uma variedade de experiências intensas, desprazeirosas e estranhas para ele sem que consiga identificar, a princípio, o que as desencadeou. Este quadro clínico teve sua incidência aumentada dramaticamente nos últimos dez anos. Este aumento pode ser atribuído a modificações sócio-culturais e a uma maior possibilidade diagnóstica nos tempos modernos.

A característica principal do quadro clínico da Síndrome do Pânico” são crises de ansiedade agudas, as chamadas crises de pânico. Estas se caracterizam pela súbita, inesperada e freqüentemente avassaladora sensação de terror e apreensão, acompanhada de sintomas somáticos em muitos órgãos e sistemas, como falta de ar, palpitações e sensação de desfalecimento.Os sinais e sintomas de uma crise de pânico são semelhantes aos que ocorrem durante um esforço físico intenso ou numa situação de risco de vida.

Anúncios